sábado, janeiro 12, 2008

Paphiopedilum venustum







Esta foi a primeira espécie de Paphiopedilum a chegar à Europa, tendo sido descrita em 1820. A sua flor causou logo sensação por ser completamente diferente de todas as orquídeas tropicais até então conhecidas. É originário do noroeste da Índia, Butão, Nepal e Bangladesh, onde cresce na selva, na sombra da vegetação alta e de maciços de bambu, em alguns dos locais mais húmidos do nosso planeta - e de facto é o paph que eu rego com mais frequência. Mantenho-o sempre húmido no verão - água destilada -, no inverno seca apenas superficialmente entre regas. É também dos poucos que não recebe nenhuma luz directa cá em casa, mesmo no inverno.

Estava com esperança que a flor fosse mais colorida, mas não tive muita sorte... embora a cor seja ligeiramente mais intensa este ano - é a segunda floração da plantinha. Em compensação é uma flor grande para a espécie, as pétalas medem 5 cm - o normal são 3-4 cm, e as folhas são para mim das mais bonitas do género. Mais uma curiosidade em relação ao cultivo, aqui não se aplica a regra sobre os paphs de folhas tesseladas (sarapintadas) precisarem de temperaturas mais altas que os uniflorais de folhas verdes, este gosta de temperaturas mais fresquinhas, principalmente no inverno.

A sua área de distribuição é partilhada com mais algumas espécies de paphs, o que deu origem a alguns híbridos naturais entre ele e o Paph. insigne, spicerianum e fairrieanum, e existe uma forma albina também que é uma das minhas preferidas, a fma. measuresianum.

2 comentários:

Greenman disse...

Gosto dos veios sanguíneos verdes do copo...
Muito bonito...

TC disse...

GM, vê só este: http://www.slipperorchids.info/paphspecies/Paphvenustum4.jpg
Hmmmmm... eheh